Técnicas, dicas, equipamentos, comparativos, fotografias, notícias, novidades e tudo sobre a fotografia.

Objectivas

Objectivas fixas e de zoom.

Existem vários tipos de lentes, mas geralmente só falamos de dois tipos:

  • lentes fixas

  • lentes de zoom

Então irão dizer, que existem mais tipos de lentes….

Se repararmos todos os outros tipos englobam-se nas lentes fixas ou de zoom mas sbore isso já iremos falar mais à frente.

Ora, as lentes fixas só têm uma determinada distância, isto é, que não dá para fazer zoom da imagem para mais perto ou mais longe.

As Lentes de zoom são as lentes onde podemos fazer zoom dos objectos, tirando assim fotografias mais perto ou mais longe sem termos que nos deslocar. Para nós amadores, estas são as nossas preferidas pois muitas destas lentes podem servir para vários propósitos, o que nos fica mais “barato”  porque compramos uma lente com várias funções. Isto não quer dizer que estas lentes são melhores que as lentes fixas, não necessitamos de arranjar várias lentes para vários tipos de fotografia. As lentes fixas são mais precisas para determinados trabalhos como retratos e alguns tipos de macro. Quando falo em precisas quero dizer que são mesmo dotadas para esses trabalhos o que só por isso são melhores que as de zoom que dão para quase tudo mas não têm nenhum forte.

Em qualquer dos casos podem ser lentes para macro, e existem para todos as as distancias, geralmente podem atingir aberturas muito grandes. Uma das particularidades é o facto de poderem focar a curtas distâncias para obtermos objectos muito pequenos a “encher” a fotografia.

Ou lentes grande angulares, usando outro nome para as lentes “lentes olho de peixe” como alguns chamam, isto porque a lente que fica de de fora parece quase metade de uma bola, o objectivo destas lentes é “apanhar” o maior ângulo possível de uma imagem, é por essa razão que se fala dos olhos de peixe pois também sobressaem e têm um grande ângulo de visão. Muitas destas lentes chegam a capturar ângulos de 180º.

Ora voltando um pouco ao titulo da nossa conversa,  qualquer lente mesmo que sejam de marcas diferentes com as mesmas características no papel, podem produzir efeitos diferentes…. Isto para as máquinas SLR, para as máquinas normais de lente única torna-se mais fácil de conhecer as suas virtudes e defeitos…. Pois porque nas SLR é mesmo diferente de lente para lente, não julguem que se comprarem outra lente que produzem a imagem da mesma forma….

Ora vamos lá ver se compreendemos um pouco as nossas lentes….

Nas máquinas fotográficas normais de lente única temos uma lente que serve para tudo, tanto fotografam bastante perto como em algumas dão zooms muito acima das lentes comuns das máquinas SLR.

Um dos efeitos que encontramos nas lentes de zoom especialmente nas lentes de zoom abaixo 30mm é o efeito arredondado dos lados das fotografias. Se repararmos quando tiramos uma foto com a lente a menos de 30mm reparamos que os objectos que se encontras junto ao “fim” da fotografia parecem terem ficado arredondados, dando à foto o chamado efeito barril.

fotografia em Fátima - disturção da lente

Este efeito pode ser mau para fotografia panorâmica onde queremos fazer a “colagem” de fotografias, ora se os lados da fotografia ficam arredondados, a colagem tornasse mais difícil. Por exemplo encontro este efeito na minha lente 18-55mm da Canon e posso adiantar que este efeito é mais evidenciado aos 18mm e vai desaparecendo à medida que vou aproximando de mais ou menos 30mm.

Em outras lentes este efeito pode ser mais evidenciado e pode desaparecer a outras medidas. É por isso que devem conhecer as vossas lentes.

Esta fotografia foi tirada em Fátima a 21mm, como podem reparar o portão deveria aparecer exactamente quadrado em vez disso parece “abaulado” com todos os lados redondos.

Provavelmente se a fotografia tivesse sido tirada a a 30mm ou mais já não se notaria este efeito.

Outro dos efeitos é o facto de podermos tirar a mesma foto de distâncias completamente diferentes e obter resultados interessantes.

Perspectiva Fotográfica com menos zoomPerspectiva Fotográfica com mais zoom

Se repararmos as duas fotografias têm diferenças de perspectiva, e isto devido à mesma lente de zoom. Ambas as fotografias foram tiradas com uma lente de zoom 70-300mm da Sigma. Ora descubra as diferenças…

A fotografia da esquerda foi tirada a 70mm e se repararmos no relvado e principalmente nos prédio por detrás reparamos que parecem mais longe. Na da direita tentei tirar mais ou menos a primeira árvore da mesma maneira como a da fotografia da esquerda a única diferença é que foi tirada a 190mm. Reparamos que na da direira os prédios parecem estar mais próximos e a perspectiva do relvado é diferente.

Mais uma dica a não esquecer: quanto mais zoom usarmos mais curta vai parecer a distância entre os objectos e o fundo.

 


Canon 24-105mm f/4 L IS USM Hands-on Review (feat. 5D Mark II)

Via Scoop.itReviews and comparisons gear

Although this L lens has been out for a few years now, we still get a lot of questions about it, especially given that it is one of the “kit” lenses that com…
Show original


Lensbaby.

Há alguns anos atrás, a Lensbaby original foi lembrada pelo seu conceito simples e divertido. Na verdade, a lente original Lensbaby é apresentada como bastante engraçada e muito diferente do habitual, com um tubo plástico macio e deformável.

As Lensbabies já estão disponíveis em vários formatos, Control FreakMuse, Scout e Composer  que incorporam o conceito de objectivo deformável e elástica, com algumas inovações.

O tubo plástico flexível permite que você fácilmente, com dois dedos, desloque a objectiva para qualquer lado. Não sómente você pode focar  mais perto ou mais longe  para fazer o foco, mas pode igualmente inclinar a lente do plano focal, para alterá-lo e assim criar áreas específicas bastante desfocadas.

O conceito

Quando se estreou há alguns anos, bastantes fotógrafos foram seduzidos pela Lensbaby com o seu conceito original e surpreendente. Com a Lensbaby, que são a antítese das características desejáveis de uma lente (dita) normal.

Aqui, não estamos a falar de nitidez, mas sim de imagens com um ponto de foco (nítido) e o restante da imagem bastante difusa e que cria em muitas das vezes o tão desejado efeito bokhe.  Todos os ajustes são manuais e até mesmo o grau de exposição não é automática.

Exemplos de fotos captadas com lensbabies

Para quem não tem uma noção exacta do que estas objectivas possam fazer, aqui ficam alguns exemplos que espelham todo o potencial criativo destas lentes.

 

Video review

(Nota: as imagens foram retiradas aleatóriamente da web e não violam a lei de privacidade de direitos de autor)


Diferenças entre objectivas Canon – EF e EF-S.

A diferença visual entre modelos EF (para sensor full frame) e EFS (para sensor APS-C, distância focal multiplicada por 1,6x), está na parte traseira da objetiva, o que as torna "incompatíveis" com determinados modelos de câmeras.

No caso, as EF-S da Canon têm uma tecnologia chamada de Short Back Focus, que aproveita o facto do espelho ser menor para criar objectivas mais compactas e/ou facilitar a construção das outras, tornando-as mais baratas.

Assim, as objectivas EF-S são o único caso de objectivas para sensores APS-C que não encaixam fisicamente em camaras que sejam fullframe.

Objectivas de outras marcas exclusivas para APS-C usam ainda assim a baioneta EF, o que significa que podem ser encaixadas em camaras fullframe, embora depois, sofram de vinhetagem e/ou perda acentuada de resolução nos cantos da imagem.

Quanto ao factor de multiplicação, isto é um dado da camara e não da objectiva. As distancias focais nunca mudam, o que varia é o campo de visão que a objectiva dá, em comparação ao que daria numa fullframe.

Por isto, o factor de multiplicação deve ser tido em conta quaisquer que sejam as objectivas usadas…


Canon anuncia objectiva EF-S 55-250 f/4-5.6 IS II

Londres, 13 jun 2011 – A Canon anuncia o lançamento da sua mais recente teleobjectiva de alta qualidade zoom. A nova EF-S 55-250mm f/4-5.6 IS II é uma lente compacta e acessível, oferecendo desempenho da teleobjectiva poderoso combinado com alta qualidade de imagem, tornando-a ideal para fotógrafos que querem aproximar-se da acção.

A versátil objectiva nova permite aos fotógrafos fotografar uma variedade de assuntos, devido à sua gama focal variável. É ideal para fotografar qualquer coisa, desde retratos de indivíduos a longa distância, como animais selvagens, desportos, ou mesmo recurso a paisagens – garantindo sempre o momento capturado com impressionantes detalhes.

A EF-S 55-250mm f/4-5.6 IS II estará disponível individualmente e também como parte de kits de lentes duplas, juntamente com o pacote recém-anunciado EF-S 18-55mm f/3.5-5.6 IS II em corpos da EOS 550D com , EOS 600DEOS 60D, proporcionando aos fotógrafos iniciantes um início fantástico para o seu sistema de fotografia.
Projcetado e fabricado para os padrões mais exigentes, a EF-S 55-250mm f/4-5.6 IS da Canon II reflecte a filosofia de design premium, com um design exterior e uma série de tecnologias premium para garantir a qualidade principal da imagem.

Canon quatro-stops,  Estabilizador de Imagem (IS) desfocagem da imagem com contadores durante a luz baixa e em filmagem, e a inclusão de um elemento Ultra-low de lente de dispersão (UD), e revestimentos  Canon Super Spectra também garantem maravilhosamente um nítido contraste, alta resolução de imagens sem brilhos indesejáveis . A última objectiva EF-S adicionada à gama da Canon, é ideal para fotógrafos que procuram uma lente acessível e versátil para o objectivo geral de fotografia telefoto.

A nova EF-S 55-250mm f/4-5.6 IS II estará disponível a partir de Julho de 2011.

Link oficial.


Que objectiva usar para assuntos específicos de fotografia.

Independemente da marca da sua câmera fotográfica, deixo um link que considero bastante útil em relação às objectivas que deve de usar para fotografar os temas/assuntos que mais gosta.

Se tem dúvidas com que objectiva deve fotografar, macro, paisagem, retrato, desporto ou vida selvagem. Consulte o link em baixo e com a possibilidade igualmente de ver tutoriais em vídeo (inglês).


Como limpar a sua objectiva.

Para assegurar umas fotos com qualidade e preservar as suas objectivas é preciso de ter algum cuidado com elas. Uma limpeza periódica é um bom princípio para isso.

Material necessário:

  • Bomba de ar comprimido
  • Caneta de limpeza
  • Pano microfibras
  • Líquido de limpeza de lentes (de qualidade)


Best Professional Lens: Canon EF 70-200mm f/2.8L IS II USM – TIPA awards 2011.

A Canon vence a categoria Best Professional Lens nos TIPA Awards 2011 com a  objectiva EF 70-200mm f/2.8L IS II USM de zoom telefotográfico na sua série L. Esta objectiva sucede à popular EF 70-200mm f/2.8L IS USM, oferecendo uma melhor performance em todas as áreas.

Seguindo a herança das objectivas da série L, a EF 70-200mm f/2.8L IS II USM proporciona uma excelente óptica nas situações mais desafiadoras. Para além de uma renovação do sistema óptico interno, a objectiva foi também estruturalmente renovada de acordo com o feedback dos utilizadores, tornando-se tão robusta e fiável como avançada em termos ópticos.

Os fotógrafos da Reuters utilizaram a EF 70-200mm f/2.8L IS USM  durante vários anos o que lhes permitiu ter uma grande flexibilidade,” afirma Kevin Coombs, Editor de Produção da Reuters. “A distância focal, a abertura rápida e o Estabilizador de Imagem (IS), em conjunto, contribuem para que seja uma das objectivas mais usadas no terreno e vemo-la frequentemente nas mochilas de muitos fotógrafos profissionais. Estou bastante ansioso para ver os melhoramentos proporcionados pela EF 70-200mm f/2.8L IS II USM.”

Qualidade premium, performance premium

A EF 70-200mm f/2.8L IS II USM inclui um sistema óptico redesenhado, composto por 23 elementos em 19 grupos para proporcionar resultados verdadeiramente impressionantes. Um elemento em fluorite de elevada performance é usado no centro da trajectória da objectiva, e está equipado com não menos do que cinco elementos de dispersão (UD) ultra-baixa, reduzindo drasticamente a aberração cromática nos vários tipos de zoom para produzir um contraste elevado em imagens com definição elevada.

Um sistema de Auto Focagem (AF) de alta velocidade adapta-se perfeitamente às capacidades das novas câmaras digitais DSLR EOS-1D Mark IV eEOS 7D. Esta nova objectiva inclui também um motor USM AF  tipo anel, que se combina com uma nova CPU de elevada velocidade e um algoritmo de AF optimizado para tornar a auto focagem mais rápida e silenciosa.

Um distância de focagem reduzida a um mínimo de 1,2 metros e uma magnificação de 0.21x melhorada vão permitir aos fotógrafos aproximar os motivos sem ser necessário trocar de objectiva – beneficiando os fotógrafos de eventos e fotojornalistas que vivem com a pressão temporal das notícias e necessitam de flexibilidade. Um mecanismo de Estabilização de Imagem optimizado oferece também uma vantagem em termos de velocidade do obturador equivalente a 4-stops, reduzindo o efeito de desfocagem resultante das trepidações da câmara em ambientes fotográficos movimentados.

Design melhorado, facilidade de utilização excepcional

Para além de uma melhoria na construção interna, a EF 70-200mm f/2.8L IS II USM sofreu também uma optimização na aparência externa para melhorar a operação da objectiva. A espessura das partes salientes exteriores e dos botões foi reduzida, prevenindo toques acidentais e apresentado um melhor aspecto. O punho de borracha de focagem foi também redesenhado e ampliado; com estrias finas tornando mais fácil a focagem manual.

Sendo uma objectiva da série L, a EF 70-200mm f/2.8L IS II USM é totalmente à prova de água, tornando-a ideal para utilização em todas as condições climatéricas. O botão e o anel de focagem incluem uma estrutura que evita a entrada de pó ou água na câmara e na objectiva quando usada com corpos EOS à prova de água. A objectiva foi redesenhada para se adaptar ao desgaste da utilização diária, o que faz dela uma objectiva altamente resistente e fiável para utilização por fotógrafos profissionais.

Acessórios de elevada qualidade para a série L

A EF 70-200mm f/2.8L IS II USM vem equipada com diversos acessórios, incluindo a nova tampa ET-87 e um Ring-Type Tripod Collar B (W). A nova bolsa para objectivas LZ1326 está também incluída, proporcionando um acesso rápido e fácil quando os utilizadores necessitam de trocar de objectiva em situações de pressão.

A compatibilidade com vários acessórios opcionais da Canon também permite aos utilizadores conjugar a EF 70-200mm f/2.8L IS II USM com o Extensor EF 1.4x II, com o Extensor EF 2x II, com o Tubo de Extensão EF 12 II, com o Tubo de Extensão EF 25 II e com os filtros de 77mm.


Distância Focal.

A distância focal é, junto com a abertura do diafragma, uma das mais importantes características de uma objetiva. É a partir dela que o usuário (como fotógrafo ou profissionais que utilizem um microscópio óptico) define, por exemplo, a maior ou menor aproximação de uma imagem, ou ainda escolhe o campo de visão que deseja trabalhar.

A distância focal de uma objetiva é determinada a partir dos pontos nodais até dos focais, ou seja, é a distância, em milímetros, entre o ponto de convergência da luz até o ponto onde a imagem focalizada será projetada.

Todas as objetivas recebem classificações como grande angular, normal e tele objetiva, e quase todas elas podem ser do tipo macro (que permite uma focalização de objetos mais próximos) ou não.

Objetiva Normal

Projeto da construção de uma objetiva de 50 mm.

De maneira geral, considera-se assim uma objetiva que possua uma distância focal praticamente igual a diagonal de um quadrado cujo lado tem tamanho semelhante ao lado maior do sensor full frame.

Estas objetivas são formadas em sua grande maioria, por cinco ou seis elementos, e a abertura máxima do diafragma, em geral, são as maiores, variando entre 1,0 e 2,0.

Na fotografia, uma objetiva normal para o formato 35mm é a 50mm. O campo de visão desta objetiva é da ordem de 50°.

São chamadas assim também porque a imagem projetada tem distorção perspectiva muito próxima da distorção perspectiva do olho humano.

Objetiva Grande-Angular

 

Projeto da construção de uma objetiva grande angular

São objetivas que apresentam distâncias focais menores que a diagonal da imagem projetada, tendo, portanto, um grande campo de visão. Este campo pode ser desde a ordem de 180°, como em objetivas “olho de peixe”, como 60°.

Seu uso, em geral, fica limitado a fotografia e vídeo.

 

Projeto da construção de uma objetiva de 10 mm com retrofoco.

Há casos, como na objetiva “olho de peixe”, em que a construção da objetiva é diferenciada. É aplicado um conceito de retrofoco, pois a distância da última lente até a superfície do filme ou suporte fotográfico (CCD ou CMOS) é menor que a distância focal. Com este projeto de retrofoco, uma lente divergente é colocada antes do conjunto principal, e após a primeira lente (que é convergente). Assim, o ponto nodal é “alterado” de posição, e assim permite se que câmeras fotográficas do tipo reflex funcionem sem que o espelho tenha que ser removido.

Uma característica marcante é a tendência de causar distorções dos planos, sensação de prolongamento, onde objetos ou pessoas que estejam mais próximos a elas apareçam maiores do que aquilo que estiver mais distante. E outra característica é que a focalização é muito mais fácil, pois possui um grande ângulo de visão. Também possui naturalmente uma profundidade de campo muito maior, comparado com a mesma abertura do diafragma utilizado em outros tipos de objetivas.

Objetiva Teleobjetiva, ou de foco longo

 

Projeto da construção de uma objetiva de 135 mm.

 

 

 

Área de visualização de diferentes objetivas, em comparação a normal 50 mm.

 

Estas objetivas são sistemas ópticos cujas distâncias focais são maiores que as das objetivas normais.

O número de lentes é menor e a distância entre os primeiros elementos e o plano do filme é praticamente igual a distância focal da lente.

A característica mais marcante no uso destas objetivas é a produção de imagens ampliadas e um aparente “achatamento” nos planos da imagem. Isto porque elas são produzidas para observar ou fotografar objetos numa distância mais elevada, e assim as distâncias relativas entre os objetos se tornam menores. Justamente por buscar imagens de objetos mais distantes, a focalização é mais crítica e difícil de ser feita, exigindo muita atenção de quem a utiliza. E também tem menor profundidade de campo se comparado com a mesma abertura do diafragma de outros tipos de objetivas.

Com estas objetivas, é mais adequado a utilização do recurso de macro fotografia, pois assim pode se manter uma distância um pouco mais elevada do objeto e ainda sim conseguir focalizar algo que tenham um tamanho reduzido. Uma utilização muito comum é feita por cirurgiões dentistas, assim como por biólogos que pretendem catalogar amostras recolhidas, pois estas lentes também permitem fotografar numa proporção de 1:1.

Objetivas Zoom ou de foco variável

 

Projeto da construção de uma objetiva zoom 55 – 135 mm.

Em razão da praticidade, estas objetivas possuem características de variadas distâncias focais, porém não necessariamente de diferentes tipos, como grande-angular, normal e tele objetiva.

As objetivas zoom também são divididas em famílias, em função das distâncias focais, que podem abranger de 28 a 50mm, de 35 a 70 mm, de 50 a 135 mm, de 80 a 200 mm, sendo que algumas destas objetivas apresentam o recurso de macro.

O início de sua produção se deu no ano de 1959, e no início os resultados obtidos eram muito pouco satisfatórios, o que lhe rendeu impopularidade por parte dos fotógrafos. Hoje são muito populares e com a reputação de oferecer boas imagens, sendo utilizadas em larga escala por câmeras de pequeno formato. Representam uma opção de ótima qualidade óptica e de custo financeiro ao fotógrafo, além da praticidade que oferecem.

In: Wikipedia